sábado, 6 de abril de 2013

O Nome Dela é ELVIRA !!


ELVIRA NO DIA QUE CHEGOU!!!
Decidimos adotar novamente. Depois do que rolou com Ozzy, resolvi que o segundo dos três estimas que desejo ter em casa aconteceria agora. Minha intenção inicial era esperar meu lote ser todo murado pois assim o espaço no quintal seria maior e eles teriam seu canil confortável e melhor, mas senti que era a hora de adotar outro peludo ou peluda rs. Mesmo com nossa rotina aparentemente retomada (digo aparente porque Ozzy também adotou para si uma conduta desobediente e rebelde. Continua entrando em casa só que agora sem mais nem menos, quando dá na telha. Estamos numa situação onde se não fazemos o que ele quer acabamos dentro de casa com a única porta fechada ao som do ventilador para não entrar em conflito com ele (na verdade eu queria é que ele nos respeitasse, pois anda impossível, nem o pão que ele adora ou outros petiscos o tiram de casa quando entra e o barulho do spray de bactrovet que ele tomou medo por causa do “stichhhh” não o incomoda mais... tá osso literalmente kkkk.

Todo mundo precisa de amor e Cia para levar seus dias, seja amigos, amores ou família, mas nem sempre só a Cia da família é o suficiente e acho sinceramente que Ozzy está passando por isso, sentindo falta de dividir a vida com alguém como ele. Não estou romantizando as coisas, Cia nem sempre quer dizer a do sexo oposto (meus amigos gays que o digam J rsss ), mas no caso do Ozzy entre macho e fêmea acredito eu que uma fêmea ficaria melhor adaptada. Digo isso porque Ozzy quando não está dormindo ou aprontando alguma com a gente kk, está com o focinho enfiado na fresta do portão vigiando a vida canina alheira e não simpatiza muito com a vizinhança masculina do quarteirão. Já no caso de uma fêmea, penso que caso não dê  muito certo no começo (por causa de ciúmes, etc...) mais a frente o instinto fale mais alto e os dois consigam não se matar kkk.

 
MACHO OU FÊMEA ?!

Optei então por uma fêmea, primeiro porque já tenho um macho e segundo porque na minha cabeça Ozzy tem mais chances de dar certo com uma fêmea do que com um macho, nem me perguntem porque rs. O problema a principio é que Ozzy ainda não é castrado, íamos castrá-lo na semana em que mudamos para cá a um ano atrás e depois disso não tive oportunidade de fazê-lo, primeiro porque o município de Ribeirão das Neves (vergonha!) não dispõem desse procedimento gratuito na zoonose e segundo que nem a zoonose no momento dispõem de zoonose (Pasmem!!!), já faz mais de um ano que pedi exames de leishmaniose para ele e nada, a um mês atrás fiz novo cadastro de pedido me pediram para aguardar 15 dias úteis mas pelo tempo já podem ver no que vai dar. Só perdôo porque dias atrás encontrei com duas moças da zoonose e brincando perguntei se elas estavam indo na minha casa, explicando o pedido, mas ao me responderem acrescentaram que todo pouco pessoal da zoonose daqui #partiu para ajudar na fiscalização da dengue pois o bicho ta pegando, ou melhor, picando geral rs. Aguardar, fazer o quê néh!

Fiz uma verdadeira busca (cada visita ao perfil de uma ONG ou anúncio de doação eu simplesmente não conseguia me decidi, me apaixonava por todos e todas rs) e no final por ter dexistido devido a indecisão, deixei a cargo do tempo e ele acabou colocando Elvira em meus braços!

Eu queria adotar por duas coisas óbvias: Amigo não se compra e quem gosta de cachorro gosta de cachorro, não de raça como vivo falando. Para mim pouco importa se é SRD, Vira-lata, pedigree, mãodigree rs, a única coisa que eu tenho como exigência é que a sintonia bata mutuamente, pra mim não é a gente que escolhe um animal para estimar, ele é que escolhe você.


COELHINHO DA PÁSCOA, QUE TRAZES PARA MIM...

Por não ter carro próprio acabei dexistindo da idéia de encontrar a outra metade do osso do Ozzy em qualquer outro local que não desse para eu mesma ir buscá-lo (a). Também tive de abrir mão de adotar um peludo (a) maior, percebi que poderia ser um problemão em uma das visitas a dog’s para adoção que levei Enrico, meu filho. Como todo bom descendente de italiano e mineiro que é, fala e vê com as mãos, não sabe o significado da palavra observação (nem de silêncio, obedece e quieto! Kkkk...aiai...) e cães maiores não são tão acessíveis e sociáveis como filhotes que permitem pega-los e colocá-los no colo e Enrico queria fazer isso com uma fêmea maior que ele numa dessas vezes,acredita ! rssss...Graças a Ozzy que apesar dela não ter gostado da investida, também não reagiu, apenas deu de rabo para ele e saiu kkkk.

Como havia dito, no sábado considerado como Aleluia para os cristãos católicos estava eu fazendo meu almoço já super atrasada quando minha vizinha bateu no meu portão eufórica dizendo que tinha encontrado a Elvira que eu tanto procurava. Como tomada de assalto me surpreendi com a euforia dela e minha única reação foi acompanhá-la deixando as panelas no fogo animada. O mais engraçado é que rodei meio mundinho pequeno para adotar praticamente de frente a minha casa. O vizinho do outro lado  da rua estava parando quem passava oferecendo os filhotes para doação quando ao oferecer a minha vizinha a mesma contou sobre meu amor e interesse e rapidamente me chamou.


ELVIRA ME ESCOLHEU !

Tão logo cheguei ao seu portão, dei de cara com três filhotes SRD gracinhas, duas fêmeas e um macho. Provável mistura de pincher (raça da mãe) com alguma outra raça de pequeno/médio porte (raça do pai até então, desconhecido rs). O macho e uma das fêmeas identicos um ao outro, ambos cor caramelo, pelo curto rasteiro como de pincher e olhinhos esbugalhados (única semelhança com Elvira, a irmã menor). Já Elvira imagino ter puxado o pai rs, pois é pretinha (desculpem, afrodescendente rs),  bem peludinha e da mãe ao que indica só puxou o tamanho ( mesmo com 60 dias cabia em uma só mão e ainda sobrava espaço kkk) e os olhos arregalados. Foi amor a primeira vista...dela e meu. Logo que me viu correu pro meu lado e colou na minha perna me pedindo colo, os outros tentavam me conquistar nas traquinas e correrias pelo quintal do vizinho, mas nem adiantava mais, estava encantada por Elvira e ela por mim ao que tudo indica, pois o vizinho até estranhou a atitude dela, me perguntou diversas vezes se era ela mesma que eu queria mostrando a todo momento os outros filhotes e me empurrando a outra fêmea. Ao questioná-lo se não queria doá-la mais ele disse que não era isso, mas medo de eu devolvê-la. Estranhei. Foi aí que explicou dizendo que ela era a que vinha dando mais trabalho, chorando a noite toda sem parar e que provavelmente eu não ia ficar com ela depois do passar dos dias. Expliquei que provavelmente chora por ser filhote e desmamada a pouco tempo, sem falar que a maioria de seus irmãos já tinham tomado destino e os dois que ali estavam pareciam excluí-la. Não sei se ele entendeu mas o fato é que saber aquilo só reforçou minha convicção de que ela era a Elvira que eu procurava para chamar de nossa s2 (se alguém me chamar de Laura do carrossel dizendo que este post está sentimental, eu espanco até a morte em silent Hill kkkk).  Não deu outra, adotei!

  
PRONTO FALEI:Hoje fez uma semana que estamos com Elvira. Já está vermifugada e segunda.feira a levarei para iniciar o esquema de vacinação. Ontem ela fez 60 dias e já está passando da hora. Ela já cresceu depois das fotos acima, mas continua ainda pequetita em comparação ao Ozzy e os outros cachorros que já tive. Ah, o Ozzy tem passado os dias presos e as noites solto até se acostumar com ela. Hoje ela, muito espivitada e confiante, acabou entrando no canil dele pela fresta do portão e quase tive um troço. Ozzy não a atacou mas não teve cara de amigos para ela. Acho que ele tem “nervoso” do tamanho dela, pois quando ela fica parada ele chega perto, a cheira de longe, a estiga para brincar, mas é só ela se mexer ou responder a brincadeira dele que ele estranha ela e começa a rosnar e tentar agredi-la com a pata. Por causa do piriguetismo dela perceber que ele não vai atacá-la (só pode ser porque de ontem para hoje ela ta num tal de escapulir pra perto dele e fica tentando entrar no canil de tudo quanto é jeito. Cheguei a soltar os dois, mas logo que Ozzy começou a brincadeira estovada ela se assustou e acabou tomando uma patada dele, saiu  chorando e isso fez ele estranhá-la e sair atrás dela, foi um aperto e um motivo para adiar esse convívio por mais algum tempo até que ela cresça (acho rs) um pouco mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta mas não inventa!