sexta-feira, 28 de setembro de 2012

MAIS UMA...ESTEATOSE HEPÁTICA


clique no link
para mais informações
sobre cólica renal
http://twixar.com/i63

Prometi semana passada que viria aqui durante a semana postar pra vocês mas minhas velhas cólicas renais se fizeram presente depois de um bom tempo sem manifestarem, me fazendo voltar aquela velha e chata rotina de idas e voltas da urgência hospitalar pública, já que eu ainda não tenho um convênio pra salvar a pátria. Confesso que, nestes meus 33 anos de vida começo a ficar cansada disso tudo. Passei a vida agradecendo ao universo por mesmo tendo essas dores que fazem a gente querer arrancar o rim com a mão eu ainda os tenho, quer dizer, os tenho 1 e meio rs, mas tenho. Mas na decorrencia da situação, com sucessivas dores, uma vida inteira de idas e vindas das urgencias da vida sem resolver nada (obrigada governo pelo sistema falido de saúde que empurram com suas panças de quem engorda sentado no dinheiro) e graças a ozzy sem ter experiencia pior da área como chegar a precisar de um transplante ou hemodiálise, me pego as vezes questionando se não seria melhor não tê-los, mas logo me dou conta da merda que falei e procuro focar minha mente em outras coisas para não ficar pensando em dor e no medo de morrer e deixar meu filho pequeno totalmente desamparado na vida (meu marido é tão dependente quanto ele e me faz criar esse pânico de morrer por saber que se isso vier a acontecer meu filho pelo desespero do não saber o que fazer,será jogado de lado para qualquer outra pessoa cuidar e pensar nisso, quando ele requer cuidados especiais por conta da talassemia que tem, me faz me preocupar mais com isso que comigo mesma, na maioria das vezes).

A cada ida a urgencia é a certeza de que passarei novamente pela sensação horrivel de morte que dá tomar aquela merda de morfina e taquicardia, embaralho da mente e lezera obrigatória, e o tramal que usam ou associam a morfina para acabar de vez com essa dor maldita não alivia em nada essas sensações, me deixando o resto da semana desconectada de tudo, ligada somente a dor que fica ainda no fundo batendo, dizendo "você pode sair de mim por um tempo, mas eu não saio de você". Pior do que isso é não saber o que tenho; os médicos dizem "você tem nefrolitíase, porque ja não falou na triagem...vou te pedir exames e uma ultrasson, vá lá primeiro tomar a morfina (quando não é o tramal, ou os dois) e aliviando faça os exames e saindo o resultado, volte aqui", e com o resultado é sempre a mesma coisa "você teve uma crise renal, na ultrasson não apareceu nada, seus exames estão normais, volte pra casa, voltando a sentir dores, febre ou vômito, retorne" e só.

Pedir mais alguma coisa ao médico é ferir a integridade de deus do universo com poder de cura dele e isso traz consequencias como por exemplo cruzar os braços e deitar a cabeça sobre a mesa te dando um chá de cadeira ou sendo um pouco mais estúpido dizendo que ele é medico formado para isso e se está dizendo que você não tem o que suspeita, é porque não tem e pronto. Fim de papo.
Aí volta o cão escurraçado pra casa, com abdomem dolorido pela força que fez para aguentar as dores e as alucinações do tramal, pernas e pés cambriados por ter passado metade da sua estadia na observação de pé e com a certeza de que a menos que um milagre aconteça, irá morrer, seja hoje, amanhã ou breve, seja em qualquer hora certa que o tempo determine, porém, sem saber de fato o que rola de verdade alí dentro de sí.

Em conversa com uma amiga, ela me disse que o que eu precisava era de um convenio médico que me desse condições de um acompanhamento, um controle, tanto para isto quanto para outros e eu que ainda sonho em poder pagar qualquer coisa que vá além de dívidas e despesas normais (eu não, meu namorido coitado!) fico alí fazendo cara de "sim, farei isso" como se não fosse um desejo meu desde que saí do último emprego. Há de se avisar a vida e as pessoas que ser bem instruido e ter boa fluência verbal não é coisa só de rico, é coisa de educação, de quem lê a vida inteira e adora informação, pequisas, enfim, continua estudando a mente mesmo depois do seu segundo grau formado, mas nada além disso. Meu grau de instrução não oficializado pelo diploma de um curso superior e meu Q.i 148 não me deram uma condição financeira superior a 1 e meio salário mínimo e quem ganha qualquer valor superior a isso nunca vai saber que com essa quantia o que se tem é uma sobrevida, um meio termo que te diz "você não está passando fome", só isso, sem mais delongas, luxos ou lazer, apenas o básico para ainda conseguir pegar um onibus, ir trabalhar e ser chamado de cidadão na hora de votar.

Contudo, nessa semana, nos retornos que fui tendo a urgencia onde sonhava com um mundo preto e roxo onde o médico viria e diria pra mim "sra., essa é a ultima crise renal da sua vida, de hoje em diante faremos um procedimento e não acontecera mais" e eu sairia dalí como aquelas pessoas que acham na rua uma quantidade de dinheiro que mudarão suas vidas, o que eu tive foi mais uma nada boa notícia; estou segundo a fala do médico e ultrassonografia com esteatose hepática, ou seja, aumento da gordura no figado. Provavelmente o que justifica as dores próximas de onde eu tinha vesícula e inchaço consideravel no abdomem. Ao contrário do que pensam não foi o médico que me disse isso, eu tive de tirar minhas conclusões pesquisando na internet, da parte dele houve só uma piadinha sem graça dizendo que meu fígado estava como o do Ronaldo fenômeno e na minha pergunta do que significava aquilo ele foi enfático em dizer que resumindo, eu tinha de perder peso me olhando com cara de quem queria dizer "pança" e já foi me despachando com o papel de liberação (altas) do hospital e me retirando da sala, afobado para escrachar o próximo paciente.

Como já estou acostumada a grosseiria da nada hospitalar médica de atendimento público, o jeito e até por não ter mais o que fazer por alí (o plantão do dia tava péssimo, todo mundo grosso, sem fazer nada por ninguém e toda hora esbarrava em gente que já estava alí a meio dia ou dia e meio e não tinha conseguido sequer ser atendido, já dentro do hospital, então...) fui pra casa pensando no que o médico disse. Na verdade caiu sobre mim a realidade de agora movida por coisas que não esperava, ser obrigada a fazer, emagrecer. Para muitos isso seria um estímulo, mas para mim foi como me dar uma arma carregada e me pedir pra atirar em qualquer uma das criancinhas em posição de misericórdia perto da parede. Perder peso é uma coisa, agora emagrecer...não me vejo fazendo isso e isso regassou minha cabeça se querem saber.
Tudo que vinha na minha mente era "não dá pra ser gordo e ter fígado light não?!" e eu não parava de raciocinar no porque de só agora acusar esteatose hepática se a vida toda fui gorda e meu fígado sempre agil cordialmente comigo, será que foi o tempo que contribuiu pra isso, tipo, eu bem achando que tava tudo bem com ele, que a culpa era da vesícula pedreficada que eu tinha e na verdade ele também ja andava mal a tempos e não deu sinal (só pra constar, figado não dá sinal, quando dá já ta na fila do gargarejo pra morrer, por isso estou na preocupação)? Mas se rolou isso, porque nunca acusou nas trocentas ultrassons que tenho de outras crises renais? Penso que isso tenha vindo a tona pela desregra que me envolvi ultimamente, rodeada de alimentos industrializados, condimentados, processados e enlatados em que me encontrava pulando de bungjump frequentemente, traduzindo...cachorro quente, fritura e refrigerante...se for olhar, no curto e no grosso, tudo que tem nele eu não posso comer, seja pelo peso (engorda), seja pelos rins (condimentos, conservas e molho de tomate) ou agora pelo fígado (toxinas contidas nos processados, condimentos que retém toxinas que ele não consegue eliminar e com isso vai acumulando, a quimica dificil de desenzimar dos remédios que tomo pelas cólicas de rins e mal estar por conta da má digestão, inchaço, e dor nas costas geradas pelo excesso de peso).

Você que esta lendo o texto agora deve estar pensando no porque de mesmo ciente de tudo isso eu ainda querer me manter assim, seja visto por voce como gorda ou acima do peso e na sua visão prejudicando minha saúde. Com exceção do fígado que de certa forma já esperava isso (apesar de não ser beberona, acredito que o que bebi durante um periodo curto de minha vida nas portas de shows, etc,um dia ia se manifestar no meu fígado, como veio a acontecer em 2005 quando tive meu primeiro coma alcoolico e apartir daí não bebí mais) os outros problemas que tenho não são exclusivos do meu peso, o que me faz pensar que mesmo se fosse magra os teria por acreditar que são hereditários, da minha mãe (que tem pressão alta, problema renal, ovario policístico que a obrigou retirá-los e teve principio de aneurisma) e do meu pai (que tem pressão alta, problema no coração e colesterol elevado), além das provaveis diabetes e glaucoma que poderiam e podem ainda ser herdadas das avós, materna e paterna. Todos magros e por isso poderiam ter associado saúde, mas não tem. Então, na minha concepção mudar ou eliminar o que sou, meu biotipo por considerarem que tudo que tenho é atribuido exclusivamente ao meu peso, é emagrecer obrigatóriamente e conviver com a decepção do sofrimento que isso causa e não ver nada mudar. Acredito que tudo é atribuido a genética de alguém e algumas coisas vem do estilo de vida que ela tem (eu tenho sobrepeso porque em parte meu metabolismo é lento e na outra parte que compete a mim, apesar de ter feito muito tempo boxe, corda e caminhada, hoje não me exercito, não tenho horário pra comer e não me alimento direito), então olhando de fora seria muito fácil resolver tudo isso, se não fosse um pequeno detalhe, o meu querer.
Mas apesar de parecer com as palavras, pelo treinamento que tive da vida (leia-se aqui criação que meus pais me deram que mais parece treinamento militar), sou determinada até certo ponto na vida, ou seja, para coisas que valem a pena e desde que tomei conhecimento do s.o.s que meu fígado vem pedindo já adotei medidas para jogar uma cordinha e tentar puxá-lo contra a corrente. Em pesquisas pela internet já busquei coisas que podem me ajudar a desintoxicá-lo sem agredir meus rins mais ainda e o melhor de todos é o tal do Chá verde, porém, só depois de comprá-lo é que tomei ciencia que ele não é de forma nenhuma recomendado a quem tem hipertensão e inflamação renal e isso colocou meus dois pés atras. Outra boa ajuda é o chá de chapeu de couro (que eu ja tomo por conta dos rins) entao hoje meu esposo vai comprar e vou investir nele. Além disso, fiquei sabendo que suco de couve com limão e comer maça tambem contribui, tow dentro! (eu já como maçã, é uma das poucas frutas que gosto), assim que passar essa crise tenho em mente comprar uma corda e tentar botar meus 125kg pra pular rs e já botei em prática cortar por enquanto minha rotina de maionese e macarrão no almoço de domingo, diminuir enlatados e condimentos (pra mim o mais difícil, não consigo ficar sem um milho ou fazer comida sem cominho, orégano, açafrão e um sazon amarelo ou vermelho rs).
Meu marido apesar de me dar total força por causa do estado de não saúde em que me encontro, resolveu me sacanear no final de semana programando assar uma asinha, fiquei puta com ele, que veio com aquela de que churrasco não engorda, já que é tudo assado, grelhado no nosso caso do bafo, conseguiu me colocar com dúvida, carne de churrasco, tem ou não gordura pra tipo, engordar, afogar meu fígado, alguém aí sabe??

bem desse jeito que eu fico
quando estou preocupada


O que eu sei é o que sei a vida toda, porque pra mim isso tudo aí é a mesma coisa que fazer dieta ou regime como queiram definir, lindo na teoria, esquema bem escrito nas palavras, mas difícil mesmo eu focando só na determinação porque vez ou outra fico pensando se meu amor pela redondeza que tenho é maior que meu amor pela vida, porque vivo do efeito sanfona justamente porque vez ou outra essa dificuldade vem na minha cabeça da seguinte forma: se já dificil pra alguém que quer emagrecer e tem esse foco no raciocínio, imagina pra mim que nunca quis perder peso pra emagrecer, daí emendo logo o que estou pensando agora...putz, fudeu?! (interjeição de preocupação).



mais informações....

Em busca no google imagens por imagens que traduzissem o texto, encontrei esse blog, lí e achei interessante dividir com vocês que querem saber mais sobre esteatose hepática, ainda estou meio crua no assunto porque só fiquei sabendo a dois dias, pouco suficiente para meu nível de nerdice tomar conhecimento, já que também não estou conseguindo pelas cólicas renais me manter muito tempo conectada porraki rs, então, hoje vou me limitar a indicação de outro blog, okays galera. o link é este aqui http://saudedigestiva.blogspot.com.br/2010/04/esteatose-hepatica-gordura-inocente-no.html . No próximo post (que tentarei publicar por aqui ainda hoje) trarei um texto muito legal que achei quando procurava saber mais sobre fígado, esteatose hepatica etc (já que até então a única coisa que sabia dele é que não podia enfiar a cara em fritura por causa do mal estar desgramado que fico e enfiar a cara na cachaça, ja que da falencia do funcionamento do fígado existe cirrose hepática). Mas fica pra outra hora porque ja não estou conseguindo ficar aqui, em plena cólica renal leva para moderada. Beiças e bfds a todos!
Ah, quem souber o lance do churras me fala okays!?

2 comentários:

  1. mulher, que calvário é esse?!
    afffi nem imagino como devem ser essas cólicas!
    foi motivada por um diagnóstico (a pré-diabetes) que decidi tentar eliminar peso... eliminei 10kg esse ano e, por causa dos momentos sérios de compulsão, passei a cogitar a ideia de fazer redução de estomago... mas o fato de me sentir tão bonita gordinha me deu um breque no lance e tô tentando reavaliar minha rotina e meus conceitos... (falo até disso no meu post mais recente do GM)
    é vero, muito fácil botar no papel que vai mudar, mas o fato é que é muitooooooo difícil mudar os hábitos, muito mesmo!
    qto ao churrasco, não sei ao certo qto ao seu problema específico, sei que o mantra que eu deveria seguir e que é o mantra daqueles que tentam fazer reeducação alimentar é: coma com moderação, mesmo sendo feito no bafo!
    beijos e melhoras procê!

    ResponderExcluir
  2. amiga, dê notícias, tá melhor?!
    saudadessss

    ResponderExcluir

Comenta mas não inventa!