segunda-feira, 13 de agosto de 2012

O TROCO - PART.II - SEM EFEITO

Você que está acompanhando O troco, deve ter achado que eu tinha dexistido não éh?! - Nada disso, o lance é que as tramas de o troco são reais, então não dá pra escrever sem rolar alguma coisa. Mas se eu demorei tanto para escrever que fez você até esquecer do capítulo anterior, leia nosso resuminho anterior antes de curtir o próximo capítulo.

Resuminho Anterior: No post anterior...Colocando seu plano em prática, Gláucia aceita a sugestão do namorido de gastar todo o dinheiro da dívida em compras na tentativa de fazê-lo refletir se agiu certo, o que ela não contava é que além dele nem se lembrar disso ainda se divertiu com o momento, fazendo-a partir para a segunda etapa...as contas!


Depois das compras frustadas (digo isso porque meu objetivo em aceitar a sugestão inconsequente dele era fazer ele pensar sobre o ato e não gostar rs), penso que essa forma de dar "O troco" será mais complicada do que imagino pois a medida que o tempo passa e vou reagindo as loucuras impostas por ele favorecendo-o, nada surge efeito como eu gostaria Nada, nem uma reflexão do tipo "o que estou fazendo" está rolando, então joguei praticamente todas as minhas esperanças referente a reação nas contas que estavam por vir (água, luz, etc).

A primeira conta a chegar (e mais esperada por mim) foi a conta de luz. Normalmente nossa média de gastos gira em torno de R$70,00, contando sempre com minhas ações militaristas do tipo "filho apaga a luz, seu pai não é dono da Cemig" (cemig é a prestadora de energia daqui de MG), "filho, desliga a tv, seu pai não é dono da Cemig", "filho, fecha o registro do chuveiro, tá demorando demais e fazendo hora aí, seu pai não é dono da cemig"...resumindo, aqui em casa o sistema é bruto nesse sentido, sou eu quem regula tudo, não deixa luz, eletros ligados sem necessidade, tomadas de aparelhos que não estamos usando plugadas, nada e durante o dia enquanto meu filho está na escola, uso o rádio de pilha, tudo para economizar valorizando o suor que ele derrama no trabalho e de quebra contribuindo para o planeta sempre!
Porém e sob esta exceção (desculpe planeta, mas para fazer o pecador pensar, você esta sendo o justo sacrificado) este mês não regulei nada. Juro, me doeu profundamente, até mesmo pelo costume que vem de bem antes do casamento e confesso que não consegui me manter "largada" nesse quesito como precisava, mas com o chegar da conta, tão logo ví o valor me dei por satisfeita.

R$163,17, esse foi o valor. Na minha cabeça não passou outra coisa...agora vai!...então me preparei psicologicamente para encarnar a adorável inconsequente e fiquei esperando ele chegar. Não podia alterar a rotina e mostrar para ele pois ele poderia desconfiar, então tive de fazer a linha "óh, a conta chegou?!" quando ele comentasse algo sobre o valore viesse me mostrar.
Passou um pouco da hora normal de chegada dele quando ele abriu o portão, meu coração gelou um pouco, tinha medo desse plano ser falido e acabar gerando mais briga ou queo pareo pelo amor de Ozzy até coisa pior (leia-se aqui separação, desacerto, fórum de vara familiar, processo de guarda do filho com requerimento de pensão... tá, parei o drama, kk), mas sou o tipo que dou uma boiada pra não entrar numa briga e quando digo que pago para ver não volto atrás (mesmo me borrando as vezes kkk), então braços cruzados, pernas juntas e Go!

Quando ele pegou a conta e olhou o valor achei que meu plano começaria a fazer efeito, mas pro meu governo levei ferro de novo kk, acredita que ele só falou "a conta chegou néh", gente, tow beje, juro, esse não é meu namorido, já tive experiencias de falação durante uma semana pela conta ter ultrapassado R$1,00 do valor normal,juro, agora essa..."a conta chegou néh", que filha da putagem é essa, me digam rs, ele só pode estar de sacanagem, não tem outra explicação (ou então ele finalmente leu meu blog, e que merd*, bem na hora errada, não?!). E foi assim e pronto. Passou um dia depois, uma semana agora e nada dele falar da conta. Depois disso só um comentário emitido quando eu tentei jogar a isca sobre o valor da conta, "férias do Rico", mais nada e pra mim ficou justificado que a calmaria toda dele é isso, ele tá achando que o valor alto da conta se deve as férias do meu filho que adora um vídeo game no pc. Aff!

Fala sério, tá difícil esse negócio de conscientização viuh, será que terei de partir para um lance mais radical?!

Acompanhe no proximo post. Beiças!


PRONTO FALEI: Num falei que ele ia tocar no assunto da televisão??? Homens, ôh troço previsível! kk

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta mas não inventa!