terça-feira, 10 de maio de 2011

LUZ PARA POUCOS, IMPOSTOS DE TODOS!

Como imposto pouco é bobagem (afinal,é questão de honra pro país manter sua imagem de impostos mais altos do planeta, entre outras coisas!), o Governo Federal, por meio de uma medida provisória, pretende prorrogar a cobrança de um dos onze tributos embutidos na conta de luz paga pelos consumidores de energia elétrica de todo o país.

A criação dessa cobrança, apesar de ser do conhecimento de poucos brasileiros, incluída na conta de luz sem qualquer menção, ocorre desde 1957, sob a desculpa de que o produto de sua arrecadação seria destinado à criação de um fundo para gastos da União Federal, quando houver necessidade de pagamento de indenizações para eventuais reversões de concessões do serviço público de energia elétrica,ou seja, uma cobrança feita ao consumidor para realizar o pagamento de indenizações hipotéticas. No entanto, nunca foi dito o que seria feito com o dinheiro quando não fosse utilizado: seria devolvido ao consumidor? Certo é que o fim dessa cobrança, como estava previsto, representaria aos consumidores uma economia de 2% na conta de luz.


Só que, o governo, temendo a perda de uma receita que gira em torno de R$ 2 bi ao ano, tenta agora manter essa cobrança, que na visão deles seriam só mais uma das tantas que o consumidor já paga. Pasmem: em torno de 45% da arrecadação do setor de energia elétrica é derivado de encargos e tributos, e, ao invés de isso ser reduzido aos poucos, a fim de que todos possam realmente ter acesso ao uso da energia elétrica, o que se faz é buscar a renovação de cobranças que deveriam ser suspensas.


Resumindo, na vida de circo que levam os governantes, palhaços somos nós povo pobre brasileiro que na maioria das vezes temos de tirar da nossa boca pra não deixar a conta atrasar, porque se isso ocorre, o desligamento é certo e mais cobrança é atribuída para termos o religamento (fora a humilhação como na maioria das prestações de serviços, em que mesmo pagando somos tratados como se nos fizessem um favor...ora faça-me o favor néh!?).

Concluindo, o que nos resta (como se tivessemos escolha) é pagar, pagar e pagar, e sonhar com um futuro menos bulinador.

Nota da blogueira: No dia que o mundo se juntar e reivindicar questoes assim, radicalmente, os impostos vão deixar de pesar no bolso da minoria que é a mais sacrificada e a corda vai parar de arrebentar só pro lado mais fraco, mas só rezar e pedir a um deus não resolve nada, tem de botar a boca no mundo e reclamar, agitar, incomodar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta mas não inventa!